FPSO Cidade de Ilhabela chega a Sapinhoá
Produção na parte norte do campo está prevista para começar no quarto trimestre deste ano 
 

No dia 21 de setembro, a FPSO (Floating Production, Storage and Offloading Unit) Cidade de Ilhabela deixou o estaleiro Brasa, em Niterói, no Rio de Janeiro, onde sua construção estava sendo finalizada, e se dirigiu à parte norte do campo de Sapinhoá, no bloco BM-S-9, no pré-sal da Bacia de Santos, no litoral do estado de São Paulo. 
 
A plataforma teve 13 módulos construídos no Brasil: três na EBSE-Nuclep, em Itaguaí, e dez no Brasa, onde também foram realizadas as operações de integração e o comissionamento final da unidade.
 
Ancorado a 310 km da costa do Rio de Janeiro, em águas com profundidade de 2.140 m, a FPSO será conectada a oito poços produtores e sete poços injetores. A unidade terá capacidade de produzir até 150 mil barris de óleo por dia (bpd), comprimir até 6 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia e armazenar 1,6 milhão de barris de petróleo. A previsão é que a plataforma entre em produção no quarto trimestre deste ano.
 
Atualmente, o campo de Sapinhoá produz 120 mil barris de óleo por dia, por meio de quatro poços produtores conectados à FPSO Cidade de São Paulo. Além da Repsol Sinopec Brasil (25%), o consórcio que desenvolve o bloco BM-S-9 tem a participação da Petrobras (45%) como operadora e da BG E&P Brasil (30%).

 

 
 
 
Primeiro projeto tecnológico da companhia desenvolvido pelo programa EMBRAPII
Objetivo é estudar a corrosão do aço no pré-sal
 

 

A Repsol Sinopec Brasil, o Instituto Nacional de Tecnologia (INT), por meio do programa EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP) firmaram parceria com o objetivo de desenvolver um novo modelo preditivo de corrosão dos aços API 5L e API 5CT (amplamente utilizados em tubulações da indústria de óleo e gás) quando expostos aos ambientes do pré-sal, que envolvem altas pressões, baixas temperaturas e grande salinidade, entre outras características críticas.
 
O projeto "Novo modelo preditivo de corrosão do aço no pré-sal" é o primeiro da Repsol Sinopec Brasil desenvolvido por meio do programa EMBRAPII. As pesquisas serão conduzidas pelo Laboratório de H2S, CO2 e Corrosividade do INT.
 
O projeto será dividido em três etapas principais: criar uma metodologia experimental para seleção de materiais metálicos a serem usados, levando em consideração a correção da fugacidade dos gases presentes no poço ou o efeito da pressão total sobre a pressão parcial de H2S; desenvolver base de dados do comportamento dos principais materiais metálicos abordados neste projeto; e elaborar um modelo preditivo da corrosão por CO2 e H2S para ser aplicado nas condições do pré-sal.
 
Com sede no Rio de Janeiro, o INT está ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) atua junto ao setor produtivo, oferecendo soluções tecnológicas inovadoras e serviços técnicos especializados. Cada vez mais, tem se voltado para a interação com o setor produtivo, visando à geração de inovações nas empresas ou organizações públicas. Destaca-se a atuação do Instituto como uma das três instituições que iniciaram o atendimento da EMBRAPII, que apoia a inovação nas empresas. 
 
 
 
 
 
Aquaviários de Búzios se formam no curso de Marinheiro Auxiliar de Convés
Curso foi oferecido pela Plataforma Educativa Repsol Sinopec em parceria com a Marinha
 
 
Com a passagem da Plataforma Educativa Repsol Sinopec por Armação dos Búzios, no litoral do Rio de Janeiro, em setembro, 30 marinheiros da cidade tiveram a oportunidade de se formar no curso Marinheiro Auxiliar de Convés (MAC), oferecido em parceria com a Marinha. 
 
"O curso foi muito importante pra mim. Eu estava procurando emprego e, quando apareceu a Plataforma Educativa, vi a possibilidade de me capacitar. Pra você ter uma ideia, fui contratado no mesmo dia da minha formatura. Eu saí da cerimônia direto para o cais, que fica aqui ao lado. Como nós tínhamos a carteira, uma empresa de turismo náutico nos contratou. Esse curso abre portas. Ele me deu estabilidade, carteira assinada e a oportunidade de progredir", diz o marinheiro Daniel Pimentel. 
 
 Em outubro, a Plataforma Educativa Repsol Sinopec retorna a São Sebastião, em São Paulo, onde, entre os dias 15 e 19, haverá a realização de turmas do curso MAC. E no dia 18 haverá uma palestra sobre "Segurança na aproximação de embarcações a plataformas", ministrada pela área de segurança, meio ambiente e saúde da Repsol Sinopec. 

 

 


 
Tour 360° pela Ocean Rig Mylos se destaca no estande da companhia na Rio Oil & Gas
Sonda está em operação no bloco BM-C-33, no pré-sal da Bacia de Campos
 
 
Entre os dias 15 e 18 de setembro, a Repsol Sinopec Brasil esteve presente na Rio Oil & Gas 2014 Expo and Conference, principal evento de petróleo e gás da América Latina, realizada no Centro de Convenções do Riocentro a cada dois anos. O que mais chamou a atenção dos visitantes da feira no estande de 230 m2 da companhia foi o tour com fotos 360° pelo navio-sonda Ocean Rig Mylos. O tour inclui áreas externas, como o drill floor e a moonpool, e também áreas internas, como os camarotes e o refeitório. Em cada ambiente, há mais informações sobre o navio-sonda. A visita está disponível neste link
 
Nos quatro dias de feira, funcionários da Repsol Sinopec estiveram presentes no estande para tirar dúvidas de visitantes e apresentar as atividades desenvolvidas pela companhia, desde as operações de exploração e produção até as atividades de responsabilidade social corporativa, como a parceria com a SOS Mata Atlântica e a Plataforma Educativa Repsol Sinopec. Ao todo, mais de 47 mil pessoas visitaram a 17ª Rio Oil & Gas.
 
 
 


 
Jaime Alem se apresenta no Sarau Repsol Sinopec
Compositor lançou seu disco Meu relicário, em parceria com Nair Cândia
 

 
O maestro, cantor e compositor Jaime Alem e a cantora Nair Cândia foram os convidados de setembro do Sarau Repsol Sinopec. O show marcou o lançamento do álbum Meu relicário e foi transmitido ao vivo pela internet. A apresentação foi realizada no dia 27, às 20h, na Pequena Cruzada, na Lagoa Rodrigo de Freitas.
 
"Estou muito feliz por lançar Meu relicário aqui no Sarau Repsol Sinopec. É um disco especial para mim, que faz um apanhando da minha carreira, transitando por todos os gêneros com os quais me envolvo ao longo desses 40 anos", declarou o maestro.
 
Jaime Alem começou sua carreira aos 16 anos de idade, ao lado de músicos como Jota Morais, Jurim Moreira e a própria Nair Cândia. Juntos, Alem e Cândia já lançaram os discos Jaime e Nair (1974) e Amanheceremos (1979). 
 
A oitava temporada do Sarau já recebeu o trombonista Vittor Santos, a cantora e pianista Joyce Cândido, o saxofonista Leo Gandelman, o cantor e pianista Marcos Valle e a cantora Mariana de Moraes.