Poço com vazão de 36 mil barris por dia entra em produção no campo de Sapinhoá
Novo poço é interligado ao FPSO Cidade de São Paulo por um sistema pioneiro
 
 
A Repsol Sinopec Brasil, junto com suas parceiras no Consórcio BM-S-9, colocou em produção, na última terça-feira, 18 de fevereiro, o poço 9-SPS-77A, em lâmina d’água de 2.118m, no campo de Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de Santos. O novo poço, com produção de 36 mil barris de petróleo por dia, está interligado ao FPSO Cidade de São Paulo por um sistema pioneiro. Com esse sistema, o trecho ascendente das tubulações de produção é sustentado por uma boia submersa ancorada a 240m de profundidade.
 
 
Devido à posição em que está instalada, a boia, denominada BSR (Boia de Sustentação de Risers), não é afetada pelos movimentos do FPSO. Esse sistema inovador viabiliza o uso, em partes do projeto, de dutos rígidos de aço em grandes profundidades d'água. 
 
A boia mede 40m x 52m, pesa 1.936 toneladas e está ancorada por oito tendões de aço de 1.828m cada, conectados a quatro estacas fixadas no leito marinho. A empresa Subsea 7 foi a responsável pela construção e instalação da boia, que tem capacidade para comportar dutos de três poços produtores e dois injetores. Para realizar a instalação, iniciada em julho de 2013, diversas dificuldades precisaram ser superadas, em razão das condições meteorológicas no período de inverno e ao pioneirismo do projeto.
 
O próximo poço produtor deverá ser interligado ao FPSO Cidade de São Paulo até o final do primeiro trimestre. Outra BSR semelhante está sendo instalada em Sapinhoá para interligar mais poços ao FPSO. As conexões às fundações já foram iniciadas, com a fixação dos tendões de aço. A instalação deverá ser concluída ainda neste trimestre. 
 
Com a instalação dessas duas boias e a interligação dos demais poços, a produção da FPSO Cidade de São Paulo continuará crescendo gradualmente até atingir o pico, previsto ainda para este ano. A FPSO Cidade de São Paulo tem capacidade para processar até 120 mil barris de petróleo por dia e está em operação desde 5 de janeiro de 2013. O campo de Sapinhoá é um dos maiores do Brasil, com volume recuperável total estimado em 2,1 bilhões de barris de óleo equivalente (boe).
 
A Repsol Sinopec Brasil tem participação de 25% no bloco BM-S-9, tendo como parceiras a Petrobras (45%), que é a operadora, e a BG E&P Brasil (30%).
 

 
 
 
Plataforma Educativa Repsol Sinopec inicia as atividades de 2014
Primeira cidade a receber o programa será Ubatuba
 
 
A Plataforma Educativa Repsol Sinopec, que este ano está completando cinco anos, retomará suas atividades agora em março. A primeira cidade a receber, a partir do dia 17, o programa será Ubatuba, no litoral de São Paulo. Os pescadores da cidade terão a oportunidade de se inscrever nos cursos “POP (Pescador Profissional)”, “Mecânica preventiva de motores”, “Gestão de resíduos de embarcações” e “Processamento de pescados”.
 
 
Todos os cursos são gratuitos. Para realizar a inscrição, basta o pescador ir até a unidade móvel do programa, que funciona das 9h e às 17h, e fazer a matrícula, ou por meio do e-mail plataformaeducativa@institutoatlantis.org.br. A Plataforma Educativa Repsol Sinopec é uma iniciativa da companhia em parceria com o Instituto Atlantis e já atendeu a mais de 10 mil pessoas, sempre com o objetivo de promover a capacitação profissional da comunidade litorânea.
 
“Estamos muito felizes por, neste quinto ano de atividades, mantermos essa parceria tão importante com a Marinha do Brasil e assim continuar oferecendo o curso POP, tão importante para a profissionalização do pescador brasileiro. Não há legado mais importante do que a educação para o desenvolvimento social. Este ano visitaremos três cidades em que nunca estivemos: Magé, Angra dos Reis e São João da Barra”, diz Gabriela Simões, gerente de Relações Externas da Repsol Sinopec.
 
Além da Marinha, a Plataforma Educativa conta com uma rede de parceiros que inclui a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (Fiperj), o SENAI e a fabricante de motores marítimos Yanmar. Desde 2009, o programa já passou por 16 cidades de Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo, percorrendo cerca de 40 mil quilômetros. A Plataforma Educativa Repsol Sinopec opera por meio de um sistema itinerante, no qual as aulas são ministradas em uma unidade móvel de 12 metros de comprimento, equipada com computadores e kit multimídia, com capacidade para até 25 alunos por turma.
 
“Antes de as atividades serem iniciadas, a Repsol Sinopec e o Instituto Atlantis realizam um trabalho prévio com a população local para levantar as principais demandas da comunidade, de forma que a unidade móvel também possa ser utilizada para atividades paralelas, como campanhas de vacinação, exames de saúde, doação de alimentos e agasalhos, palestras e esclarecimentos diversos à população”, explica Gabriela Simões.
 
Depois de Ubatuba, a Plataforma Educativa segue para São Sebastião, Ilhabela, Magé, Angra dos Reis, Cabo Frio, Búzios, Macaé e São João da Barra.
 
 
 
 
 
Repsol Sinopec Brasil firma parceria com a Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Parceria vai estudar a formação de hidratos nas linhas de produção de óleo e gás

 
A Repsol Sinopec Brasil e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) firmaram, no dia 25 de fevereiro, no auditório da instituição, parceria para estudar a formação de hidratos de gás – que são sólidos cristalinos formados a partir de uma rede de moléculas de água, mantidas coesas por ligações de hidrogênio – nas linhas de produção de óleo e gás. Com o acordo, a companhia investirá R$ 1,7 milhão para o desenvolvimento dos estudos.
 
“Os hidratos são formados em condições de alta pressão e baixa temperatura, condições comumente encontradas quando produzimos em águas ultraprofundas, e podem prejudicar a produção de petróleo, às vezes até bloqueando por completo a linha de produção. Pretendemos compreender melhor a formação dos hidratos para poder de alguma forma controlar esse processo”, explica José Galindo, gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Repsol Sinopec Brasil.
 
As atividades serão realizadas com o objetivo de obter os seguintes resultados: estabelecer correlações de engenharia para determinar a taxa de deposição de hidratos nas paredes das tubulações; desenvolver um modelo matemático para prever a deposição de hidratos na parede e a concentração de hidratos nas fases de óleo e água; desenvolver sensores de ultrassom e ópticos para monitorar a taxa de deposição e a distribuição de partículas de hidratos nas fases (água e óleo).
 

 
“A parceria com a Repsol Sinopec é muito importante para a UTFPR, pois está alinhada com os esforços que estamos realizando para implantar um núcleo de excelência no desenvolvimento de pesquisas aplicadas para o setor de óleo e gás. Espero que este seja apenas o início de uma cooperação com vida longa e que sirva para atender a demandas energéticas da sociedade”, diz o professor Rigoberto Morales, coordenador do Laboratório de Ciências Térmicas do Programa de Pós-graduação de Engenharia Mecânica da UTFPR.
 
Os projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) promovidos pela Repsol Sinopec estão divididos em sete linhas tecnológicas: iluminação do subsolo; caracterização de rochas e fluidos; modelagem e otimização geológica e de reservatórios; tecnologia offshore; biocombustíveis; tecnologia de poços e geomecânica; e petróleo e gás não convencional. Ao longo de 2014, a companhia estima investimentos da ordem de R$ 20 milhões em P&D.
 
 
 


 
Sarau Repsol Sinopec está de casa nova
Evento agora será realizado na Pequena Cruzada, também na Lagoa Rodrigo de Freitas

 
O oitavo ano do Sarau Repsol Sinopec, evento já tradicional no calendário cultural carioca por abrir espaço para os novos talentos da MPB e reverenciar os já consagrados, marca também a mudança de lar do projeto. Após cinco anos na Fundação Eva Klabin, na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, 2014 o Sarau se muda para a Pequena Cruzada, instituição localizada no mesmo bairro.
 
Fundada em 1921, a Pequena Cruzada é uma instituição filantrópica de assistência Social sem fins lucrativos voltada para crianças em situação de vulnerabilidade social, a maioria delas residente de comunidades próximas, como Ladeira dos Tabajaras, Rocinha e Cantagalo. As crianças frequentam a instituição em horário integral e são matriculadas no Centro Educacional Pequena Cruzada, que atende a 250 crianças, da alfabetização ao 9º ano do ensino fundamental. Pela manhã, em horário alternativo à escola, elas recebem cuidados com alimentação e higiene, apoio escolar e participam de atividades como judô, ballet, artes e música.
 
“É uma grande satisfação para a Repsol Sinopec Brasil iniciar esta parceria com uma instituição como a Pequena Cruzada, que proporciona a centenas de crianças carentes um desenvolvimento adequado e assim amplia suas oportunidades futuras. E além deste belo trabalho, a instituição tem ótimas instalações e fica em um dos principais cartões postais da cidade”, diz Alejandro Roig, diretor de Comunicação e Relações Externas da Repsol Sinopec.
 
Assim como ocorre todo ano, as apresentações serão realizadas de abril a novembro, sempre na última quarta-feira do mês, com transmissão ao vivo pela internet. Para celebrar sua nova casa, o primeiro Sarau de 2014 será em março, com a cantora Mariana Leporace, apenas para funcionários da companhia, que para retirar seus ingressos doarão um quilo de alimento não perecível cada à instituição. 
 
Nestes sete anos de Sarau Repsol Sinopec, artistas como Carlos Lyra, Celso Fonseca, Luiz Melodia, Wanda Sá, Danilo Caymmi, Antonio Adolfo, Ivan Lins e Bossacucanova já subiram ao palco do projeto.


 


 
Repsol e Honda celebram o 20º aniversário da parceria mais vitoriosa da história da motovelocidade
Parceria conquistou dez títulos de pilotos em vinte disputados

 
A Repsol comemorou no dia 10 de fevereiro o 20º aniversário da parceria que deu origem à Repsol Honda Team, a colaboração mais longa e vitoriosa do Mundial de Motovelocidade. Os resultados falam por si: dez títulos de pilotos, 124 vitórias e 338 pódios nas categorias 500cc e MotoGP, além de 128 pole positions e 144 voltas mais rápidas.
 
Marc Márquez, atual campeão da MotoGP, e Dani Pedrosa, ambos da equipe Repsol Honda, foram os grandes protagonistas da celebração, realizada no Campus Repsol, em Madrid, sede da companhia.  Álex Crivillé, campeão do mundo de 1999, também esteve presente, assim como Antonio Brufau, presidente da Repsol, Livio Suppo, chefe da equipe Repsol.
 
Os títulos de pilotos da equipe Repsol Honda foram conquistados por Mick Doohan (ganhador entre 1995 e 1998), Álex Crivillé (1999), Valentino Rossi (2002 e 2003), Nicky Hayden (2006), Casey Stoner (2011) e Marc Márquez (2013).
 
 
Referência em inovação
 
Iniciada em 1995, a relação entre Honda e Repsol vai muito além de um patrocínio. Para que a Honda tenha acesso aos melhores produtos possíveis no Mundial de Motovelocidade, o Centro de Tecnologia Repsol (CTR) se tornou referência em inovação no que diz respeito ao desenvolvimento de gasolina e lubrificantes. Depois de serem testados e aprovados pela equipe Repsol Honda, os produtos são disponibilizados para os consumidores. 
 
Uma das novidades para o Mundial de 2014 se refere à menor capacidade dos tanques de combustível, o que irá exigir o aumento na eficiência da gasolina utilizada. Apenas mais um desafio a ser superado com tecnologia e inovação.