FPSO Cidade de Ilhabela entra em operação em Sapinhoá Norte
É a segunda plataforma em produção no campo, localizado no pré-sal da Bacia de Santos
 
FPSO Cidade de Ilhabela
 
A Repsol Sinopec Brasil e suas parceiras no bloco BM-S-9 colocaram em operação, no dia 20 de novembro, na parte norte do campo de Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de Santos, o navio-plataforma Cidade de Ilhabela. A plataforma foi ancorada em profundidade de água de 2.140 metros, a cerca de 310 km da costa de São Paulo. 
 
A plataforma é do tipo FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo) e tem capacidade para produzir até 150 mil barris de petróleo por dia (bpd), comprimir até 6 milhões de m³/dia de gás natural e armazenar 1,6 milhão de barris de petróleo. Também tem capacidade de injeção diária de 180 mil barris de água. O poço 3-SPS-69, o primeiro em operação, tem potencial de produção de 32 mil bpd. O petróleo produzido no campo de Sapinhoá é de ótima qualidade – em média 290 API – e será escoado por navios aliviadores.
 
O escoamento do gás não utilizado para reinjeção no campo será feito pelo gasoduto Sapinhoá-Lula-Mexilhão, até a Unidade de Tratamento de Gás Monteiro Lobato (UTGCA), localizada em Caraguatatuba, no litoral paulista. Oito poços produtores e sete poços injetores serão conectados à plataforma.  A previsão é que o pico de produção seja atingido no segundo semestre de 2015.
 
Sapinhoá Sul
 
A produção no campo de Sapinhoá foi iniciada em janeiro de 2013, com o FPSO Cidade de São Paulo, que é atualmente a unidade com maior produção no país. De acordo com dados da ANP, a plataforma produziu em outubro 131,9 mil boe/dia, sendo 108,7 mil barris/dia de óleo e 3,6 milhões de m³/dia de gás natural.
A Repsol Sinopec Brasil tem participação de 25% no bloco BM-S-9, tendo como parceiras a Petrobras (45%), que é a operadora, e a BG E&P Brasil (30%).
 
 
 
 
Plataforma Educativa Repsol Sinopec é eleita o melhor programa de sustentabilidade ambiental e social
Premiação foi concedida pela Câmara Oficial Espanhola de Comércio
 
Em cerimônia realizada no dia 11 de novembro, em São Paulo, a Plataforma Educativa Repsol Sinopec foi a vencedora do 3º Prêmio Cámara Española de Sustentabilidade, na categoria "Sustentabilidade ambiental e social". O Prêmio tem o objetivo de dar visibilidade ao trabalho de organizações que contribuem para reduzir as desigualdades e construir um mundo melhor, conciliando a qualidade de vida da população e a preservação da natureza. A terceira edição da premiação teve apoio dos institutos Aidis, Eco Desenvolvimento, Ethos e do Instituto Brasileiro de Sustentabilidade.
 
Prêmio Cámara Española de Sustentabilidade
 
Em cinco anos de estrada, a Plataforma Educativa Repsol Sinopec já atendeu a mais de 12 mil pessoas e percorreu 68 mil quilômetros, além de ter passado por 18 cidades de Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo, levando conhecimento, qualificação e aperfeiçoamento profissional às comunidades litorâneas.
 
Todas as atividades são gratuitas, acompanhadas por material didático e ministradas em uma unidade móvel de 12 metros de comprimento, com capacidade para 25 alunos por turma e equipada com computadores e kit multimídia. Só no curso "POP (Pescador profissional)", em parceria com a Marinha do Brasil, foram formados cerca de 600 pescadores. A Repsol Sinopec é a única empresa com autorização da Marinha para realizar os cursos POP e MAC (marinheiro auxiliar de convés).
 
Com esses dois cursos, os pescadores passam a ter um registro profissional, que não só os habilita a exercer a profissão legalmente como lhes dá acesso à Previdência Social. Também fazem parte da grade os cursos de "Mecânica de motores", "Gerenciamento de resíduos" e "Processamento de pescados", além de diversas ações de saúde e educação ambiental.
 
 
 
 
Bianca Gismonti encerra a temporada 2015 do Sarau Repsol Sinopec
Cantora e compositora apresentou canções de seu disco Sonhos de nascimento
 
Bianca Gismonti
 
A pianista, cantora e compositora Bianca Gismonti encerrou, no dia 26, na Pequena Cruzada, na Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro, a oitava temporada do Sarau Repsol Sinopec. No show, transmitido ao vivo pela internet, Bianca Gismonti apresentou as canções de seu CD Sonhos de nascimento.
 
"É muito importante para a música brasileira ter um espaço como o Sarau Repsol Sinopec, um projeto duradouro. É uma honra estar neste palco, onde já subiram tantos artistas que fizeram a história da nossa música. Desejo que o Sarau tenha uma vida bem longa", disse a artista ao público.
 
Filha de Egberto Gismonti, Bianca começou a estudar música aos 10 anos de idade e participou de diversas turnês pelo mundo todo ao lado do pai. Integra o Trio Arcano, grupo de música instrumental autoral, e mantém, com a também pianista Claudia Castelo Branco, O Duo Gisbranco.
 
Neste ano o Sarau recebeu também o trombonista Vittor Santos, a cantora e pianista Joyce Cândido, o saxofonista Leo Gandelman, o cantor e pianista Marcos Valle, a cantora Mariana de Moraes, o compositor e instrumentista Jaime Alem e a cantora Andrea Dutra, todos com transmissão ao vivo. 
 
Com shows realizados ao longo do ano, o Sarau Repsol Sinopec abre espaço para os novos talentos da MPB e reverencia os já consagrados, em apresentações intimistas realizadas para convidados e jornalistas. Ao longo dos oito anos de projeto, artistas como Carlos Lyra, Celso Fonseca, Pedro Miranda, Luiz Melodia, Wanda Sá, Danilo Caymmi, Antônio Adolfo, Ivan Lins e Bossacucanova já subiram ao seu palco.
 
 


 

 


 
Plataforma Educativa Repsol Sinopec encerra suas atividades em 2014
Programa esteve pela primeira vez em São João da Barra
 
O quinto ano de atividades da Plataforma Educativa Repsol Sinopec chegou ao fim com a visita a São João da Barra, no estado do Rio de Janeiro, cidade que o programa visitou pela primeira vez, promovendo o curso "Processamento de pescados", ministrado em parceria com a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro. 
 
Neste curso os alunos aprendem a utilizar peixes sem valor comercial (como o xerelete, que vem junto nas redes e não tem valor comercial) são transformados em linguiça, quibe, almôndega e fishburger. Além de retirar adequadamente o filé, os alunos aprendem a usar partes que seriam jogadas no lixo.
 
Em 2014, a Plataforma Educativa visitou sete cidades, sendo quatro delas em São Paulo (Ubatuba, Ilhabela, São Sebastião e Caraguatatuba) e três no Rio de Janeiro (Cabo Frio, Búzios e São João da Barra). Além de "Processamento de pescados", também foram oferecidos os cursos "POP – Pescador profissional", "MAC – Marinheiro auxiliar de convés", "MAM – Marinheiro auxiliar de máquinas", "Mecânica de motores" e "Gestão de resíduos em embarcações". Ao todo, o programa atendeu 670 pessoas.