Ocean Rig Mylos
Navio-sonda da Repsol Sinopec Brasil é batizado na Coréia do Sul.
 
A senhora Charo Artoga Velio, e seu marido, José Maria Moreno, CEO da Repsol Sinopec Brasil.
 
Foi realizada no último dia 26 de julho, na cidade de Geoje, Coréia do Sul, a cerimônia de batizado do Ocean Rig Mylos, da Repsol Sinopec Brasil. Considerado um dos navios-sondas mais modernos do mundo, o Ocean Rig Mylos foi arrendado por três anos pela companhia (podendo se estender por mais dois) e deve chegar ao país ainda este ano para operar no bloco BM-C-33. A madrinha de batismo do Ocean Rig Mylos foi à senhora Charo Artoga Velio, esposa do CEO da Repsol Sinopec Brasil, José Maria Moreno. Também participaram da cerimônia o Chairman, Presidente e CEO da Ocean Rig, George Economou e o Presidente e CEO da Samsung Heavy Industries, Dae-young Park.
 
O Mylos é o primeiro dos quatro navios-sondas de sétima geração que a companhia grega Ocean Rig pretende construir até o final 2014, e a previsão é que ele saia do estaleiro coreano em meados de agosto. Com 228 metros de comprimento e 42 metros de largura, o navio pode operar em lâminas d´água de até 3 mil e 700 metros e levar até 215 pessoas a bordo. Para dar maior confiabilidade nas operações offshore, o Mylos possui ainda dois BOP's (equipamento que evita a perda de controle do poço) e um sistema de posicionamento dinâmico (conjunto de propulsores com redundância tripla que mantém a unidade fixa ao redor do eixo central) garantindo que nenhuma falha simples possa causar perda de posição.
 
O presidente da Ocean Rig, George Economou e José Maria Moreno.
 
"Os equipamentos do Mylo possibilitam um alto nível de automação, e conferem maior agilidade durante as operações, reduzindo os riscos e melhorando a segurança dos trabalhadores", disse Ernesto Cobo, gerente de Perfuração e Completação da Repsol Sinopec Brasil.
 
A preocupação com o meio ambiente foi outro fator levado em conta na construção do Mylos, pois ele permite operações com descarte zero de resíduos, o que contribui para a manutenção da qualidade ambiental. Além disso, durante a navegação para o Brasil a sonda será preparada para atender a legislação brasileira no que se refere às questões de saúde, segurança e meio ambiente.
"A expectativa é que o Mylos contribua de forma significativa para o desenvolvimento da companhia nos próximos anos. Ele é um navio-sonda moderno e inovador, premissas que sempre acompanharam nossa companhia, e que são fundamentais para um crescimento eficiente e sustentável"- afirmou José Maria Moreno, CEO da Repsol Sinopec Brasil.
 
O Presidente da Samsung Heavy Industries, Dae-Young Park
 
A aquisição do Ocean Rig Mylos reforça a posição da Repsol Sinopec Brasil como uma das mais importantes, competitivas e inovadoras companhias de petróleo que atuam no país, e representa, de maneira inequívoca, a confiança da companhia no desenvolvimento do setor energético brasileiro.
 
 
 
 
 
Imagens do futuro
Chega ao fim o trabalho de sísmica no bloco BM-C-33
 
A Repsol Sinopec Brasil encerrou o trabalho sísmico do bloco BM-C-33, na Bacia de Campos. Foram seis meses de muito trabalho e dedicação para obter os dados de um dos blocos mais importantes do pré-sal brasileiro, onde se encontram os poços Pão de Açúcar, Seat e Gávea. 
 
 
Para captar esses dados, a Repsol Sinopec Brasil contratou a empresa PGS, que utilizou o navio Ramform Viking (foto). Esse navio utiliza cabos do tipo GeoStreamer – 10 cabos que medem 8km cada - que permitem a captação dos dados das reflexões sísmicas para o mapeamento em 3D. O método de reflexão sísmica em 3D apresenta um espaçamento entre as linhas, permitindo uma reconstituição tridimensional da geologia do subsolo até mais de 8km de profundidade. Os dados obtidos serão agora transformados em imagem e interpretados pelos especialistas da companhia.
 
"O futuro do bloco depende dessa sísmica. Estamos utilizando o que há de mais avançado no momento, para obtermos uma melhor imagem dos três descobrimentos. Com isso, teremos um conhecimento melhor da geologia e da característica de cada reservatório, o que nos ajudará no plano de otimização dos três descobrimentos"- explica Didier Wloszczowski, gerente de Exploração da Repsol Sinopec Brasil.
 
Como o método de reflexão sísmica é feito a partir da criação de ondas acústicas artificiais, a preocupação com o meio ambiente e o respeito à vida marinha foi outro ponto de preocupação da companhia. Por isso, durante todo o processo de obtenção de dados, técnicos da Repsol Sinopec Brasil monitoraram 24 h por dia a passagem de baleias e golfinhos pela região. Sempre que algum deles ultrapassava o raio de 500 metros do barco, as emissões eram suspensas. 
 
O bloco BM-C-33 é operado pela Repsol Sinopec Brasil (35%), em parceria com a Statoil (35%) e a Petrobras (30%). 
 
 
 
 
 
Cátedra UNESCO Memorial da América Latina 2013
Programa de extensão universitária apoiado pela Repsol Sinopec Brasil selecionou mais de 100 alunos em 2013.
 
Considerado um dos mais importantes fóruns de reflexão e discussão sobre a contemporaneidade latinoamericana, a Cátedra UNESCO Memorial da América Latina,  programa de extensão universitária criado pelo Memorial da América Latina em parceria com três universidades públicas de São Paulo (USP, UNESP e UNICAMP) e apoio da Repsol Sinopec Brasil, concluiu sua oitava edição após quatro meses de estudos sobre a "A Educação Superior na América Latina e os Desafios do século XXI".
 
 
 Este ano, o curso esteve sob a orientação do Prof. Dr. Simon Schwartzman,  e selecionou 100 alunos com nível de formação em mestrado e doutorado. Entre eles, cinco bolsistas oriundos de outras cidades brasileiras e um bolsista da Venezuela.  A experiência de gestão no ensino superior foi abordada em sala de aula e amplamente discutida em palestras, realizadas no auditório da biblioteca do Memorial da América Latina (foto), ministradas por especialistas e acadêmicos de várias partes do mundo. Eles apresentaram aos alunos análises diversificadas e profundas da situação do ensino superior, baseadas em suas vivências em outros países latino-americanos e em organismos internacionais. 
 
Tais conteúdos serviram de base para que os oito grupos em que foi dividida a turma, produzissem monografias sobre temas que iam do papel da educação superior nas sociedades, passando pela análise da profissão acadêmica e das políticas púbicas de ensino, até as novas modalidades de ensino. Essas monografias serão disponibilizadas posteriormente ao público na forma de um livro impresso. 
 
"Mesmo apresentando um alto nível acadêmico, acredito que leigos também apreciariam muito as explanações, tendo em vista o didatismo dos palestrantes, representado, inclusive, por uma ampla exemplificação com casos concretos, e a importância dos temas tratados para o contexto socioeconômico e cultural do continente, fatores que devem ser refletidos nos textos que comporão o livro a ser publicado" - afirmou o professor Adolpho José Melfi, coordenador da Cátedra UNESCO Memorial da América Latina.
 
Tendo em vista a continuidade do programa em 2014, o tema inicial a ser submetido à comissão de orientação da Cátedra será "A Educação Básica na América Latina: avaliação e perspectivas", porém outros temas poderão ser sugeridos. 
 
 
 
 
 
Festa da Educação
Plataforma Educativa da Repsol Sinopec Brasil chega ao quarto ano.
 
A Plataforma Educativa Repsol Sinopec comemorou no último dia 9 de julho, seu quarto aniversário. Criada para levar qualificação e aperfeiçoamento profissional às comunidades costeiras dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo, o programa já beneficiou mais de 10 mil pessoas.
 
 
Instalada em uma unidade móvel de 12 metros de comprimento, equipada com computadores, kits multimídias, energia solar e com capacidade para atender 25 alunos por turma, a Plataforma Educativa Repsol Sinopec é um programa itinerante que de março a dezembro oferece cursos voltados para a comunidade pesqueira das cidades visitadas. A Plataforma Educativa também difunde conhecimentos sobre segurança, meio ambiente e saúde, através de palestras ministradas por especialistas de cada área. Alguns cursos são direcionados para as famílias dos pescadores, com o objetivo de promover alternativas econômicas às comunidades.
 
"O curso foi maravilhoso! Botei em prática tudo que aprendi, e não me arrependi. Primeiro fiz a degustação em casa, pra família, e quando eles aprovaram resolvi me arriscar na Feira de Peixes Alzira Vargas, a mais famosa de Campos. Um sucesso! Vendi todos os risoles, croquetes e pastéis de forno de peixe que fiz. Quem ainda não fez está perdendo, sempre digo isso na colônia (dos pescadores). – afirmou a pescadora Zélia Maria, sobre o sucesso das receitas que aprendeu a fazer durante o curso de Processamento de Pescados, quando a plataforma esteve em Farol de São Tomé (RJ).
 
Além do curso de "Processamento de Pescados", fazem parte da grade da Plataforma Educativa os cursos de "Manutenção Preventiva de Motores", "Gerenciamento de Resíduos do Mar", "Rádio Amador", "Marinheiro Auxiliar de Convés" (MAC) e "Pescador Profissional" (POP). 
 
A Plataforma Educativa é coordenada pelo Instituto Atlantis de Preservação Ambiental e conta com apoio de vários parceiros, como a Marinha do Brasil, a Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro (FIPERJ), e das prefeituras das cidades visitadas. Todos os cursos oferecidos pela Plataforma Educativa Repsol Sinopec são gratuitos, e desde a sua criação, em julho de 2009, já esteve em 17 cidades litorâneas, algumas delas mais de uma vez, a pedido da população local.
 
 
 
 
 
Pedro Miranda no Sarau Repsol Sinopec
Cantor Pedro Miranda se apresentou no Sarau de julho.
 
No último dia 31, o samba tomou conta do Sarau Repsol Sinopec Brasil. Acompanhado por uma turma de bambas, o cantor Pedro Miranda animou à noite na Lagoa ao passear por clássicos do samba e pelo repertório que o colocou entre os maiores destaques da nova MPB. O Sarau Repsol Sinopec Brasil é transmitido ao vivo pelo site da companhia. Para acompanhá-lo basta acessar o site: www.repsolsinopec.com.br.